sábado, 16 de junho de 2012

Maria Teresa Horta










"Poder esquecer"

Poder esquecer que conheci
contigo
o interior antigo da cidade

a tua incerta boca
que corria
nas pontas dos meus seios
e minha face

Poder esquecer que ignorei
contigo
aquilo que quisemos e pensamos

as tuas lentas mãos
que percorriam
a curva dos meus rins
e as pernas que se abrem

Poder esquecer que conheci
contigo
os sítios mais meigos da cidade

os teus dedos que na minha
boca
entravam - percorriam
vorazes - insaciados

Poder esquecer que conheci
contigo
aquilo que escondemos. Não fizemos

a minha língua
no teu baixo ventre
a traçar caminhos que
perdemos

Poder esquecer que conheci
contigo
a recusa de nós...

Que ignorei contigo
tão meigas vontades que esquecemos




Um comentário: